quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Versos Homeopáticos



No vazio de dentro ecoa o desejo de ter o amor teu em mim.... dentro de mim és inteiro, sou inteira, o tudo se faz.


E, ao amanhecer, voamos além do sonho , em uma embriagante viagem colorida. Rumo à vida.


Linha cruzada: meu ouvido te escuta em outra boca.



Porque na minha poesia é que deves te encontrar ... e te perder...



Disso faz-se a poesia: indefinida e infindável fonte de espalhar amor.



Nessa entrega de corpo e alma ao verso, nos transformamos na imagem real do amor. Infinito céu repleto de estrelas, onde a nossa alma-poesia gosta de repousar.



Pele-flor arrepiada de verso-paixão, colorida com os tons do árco-iris que se forma no céu da boca cheia de desejo do beijo do pássaro liberdade.




Olhar de paixão pela vida, de gozo no momento da escrita, de ternura no toque da palavra. Escrever é voar sem usar asas...




Meias-verdades são mentiras disfarçadas.




Gosto de calçar a verdade. A mentira me machuca muito os pés. Ela é pequena.




O que cabe em mim, eu não sei. Nem mesmo eu me caibo. Sou imensidão.




Somos como o vinho tinto esparramado na toalha de mesa… aguardando quem
nos sorva e nos embriague…





Bebo tua saliva, me embriago em tua língua, frenesi transe orbita



4 comentários:

Tatiana Kielberman disse...

Flavinha querida...

Adoro os versos que você, "sem querer", homeopaticamente, espalha por aí...

Saiba que isso embeleza nossas vidas e traz sentido a tudo!

Beijos, com carinho!!

Danilo MM disse...

As vezes penso tomar placebos para curar estes vazios.

Suzana Martins disse...

"Meias-verdades são mentiras disfarçadas."

Menina que me encanta com as suas doces palavras.

Beijos

Alicia disse...

Uau, escreves lindamente.
Obrigada pela visita ao Fale com ela.