sábado, 15 de janeiro de 2011

Fragmentos poético-voadores



Para voar nas asas da poesia é preciso sentir uma liberdade que se traduz em versos. E esses versos enxergo na palma da tua mão, na beleza da tua alma...


Voar em qualquer direção, em qualquer estação. No ar ou no chão... voar está na imaginação. Eu voo com o coração.


É o amor que levamos conosco e que não precisa ser ouvido, apenas sentido. Vida pulsando num coração que apaixona e também apazigua. A paz da vida.


Meu sussurro te grita, meu silêncio canta pra ti, meus olhos fechados te enxergam, meu corpo cansado te implora... és miragem.


Letras são pássaros coloridos que pousam em folhas ansiosas por poesia-liberdade.


Poesia requer liberdade. Não existem amarras nem regras, apenas a paixão pelo inesperado, pela espontaneidade, pela simplicidade rebuscada. Gritemos através da escrita o sentimento que levamos no peito...


O amor nos carrega em seus braços, como anjos que voam ao encontro da luz. Amor aquece, enternece, acalenta a alma. Vivamos de maneira que o amor sempre encontre a chave de nossos corações.


Quero atravessar o sonho e encontrar do outro lado da ponte o brilho dos teus olhos. Viver-te no coração, sentir-te na pele... saber que a realidade é essa poesia que vejo em ti...


Sonhos existem pra impulsionarmos e tornarmos realidade nossos mais intensos desejos . Desejo viver de sonhar, e realizar o sonho de viver de amor; amor às pessoas, amor à VIDA...



Do sonho de amar acordo em teus braços, ondas do mar... que me levam ao som das ondas, na luz do luar... não quero voltar, vamos voar juntos nas entrelinhas desse verso...


Quero ler meu nome nas linhas da tua mão. Destino que escrevo na palma dos meus versos.



Palavras escritas no verso da mão. Na palma da poesia. No inverso da solidão. Te guardei na batida do coração.
Te tranquei a sete chaves na lembrança mais feliz. Assim te fiz livre. Me tornei o espelho que reflete teus desejos. Meu desejo é nosso voo.

10 comentários:

Cristiano Melo disse...

Flávia

Seus fragmentos poéticos voam aos olhos do leitor que voa junto com a autora.
Alguns voos rasantes, outros próximos ao Sol e estrelas, todos com seu sabor ao vento.

Parabéns

beijo

Flávia Braun disse...

Saudades de vc por aqui, amigo!!
Adoro teus comentários!!!
OBRIGADA e volta sempreee!!
beijos com carinho!

Danilo MM disse...

Coloquei em palavras tentando te tornar realidade.

Leonardo B. disse...

[Poesia, muito para além das palavras, também pode ser todo um ar que se respira, pela mão]

um imenso abraço, Flávia

Leonardo B.

Priscila Rôde disse...

Flávia, estou sem palavras! Quanta poesia!

Sandra Cajado disse...

E nos fragmentos poéticos é que a poesia encontra as cadências dos batimentos cardíacos.
Eu até lembrei do ritmo do coração e a poesia escrita na palma da mão assinada com o olhar que abala as estruras da emoção.

Tava com saudades de te ler...
Obrigada por me chamar aqui,ganhei a tarde!
Beijos querida.

Suzana Martins disse...

Palavras que ganham asas, poesias que viram letras, fragmentos que abraçam corações.

Palavras: asas que voam num caderno onde os papeis são guiados pelo vento!!

Beijos querida!!^^

Bruna disse...

Você coloca mesmo o coração e a alma nas palavras... E elas voam, guria!!!!

Obrigada por dividir a poesia em você com a gente.

Beijos, Flavitcha!

carlos-jornalismo disse...

Você me torna um homem diferente...

Tatiana Kielberman disse...

Flavinha,

Seus versos dão asas à nossa imaginação!

Beijocas!