segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

VERSEI...


Tudo o que se vê, tudo o que se escuta
Tudo o que se cheira e sente
Tudo vira verso, nas mãos do poeta
Versejar é preciso! Versei. Voei...

Inventar verbos, dedilhar palavras esquecidas
Trilhar rumos incertos
Viajar nas curvas do poema
Tudo é poesia. Versei. Pulei...

Trajar véus de letras em tons coloridos
Despi-los e usar a alva pele como manto
Vestir, pintar, despir, descolorir
Tudo é poesia. Versei. Arremessei...

Sonhar a vida e não temer a morte
Aceitar o tempo, beijar sua mão
Gozar do instante, ser breve infinito
Tudo é poesia. Versei. Flutuei...



domingo, 30 de janeiro de 2011

Fragmentos - Versejando





Voo rasante sobre as águas. Teu amor me faz gota, onda , mar, oceano. Me faz infinito.


Verso versado inverso invertido .... palavra escrita inventada decifrada.... poesia descompensada apressada passarinhou...voou....


Choque de realidade: acordo com o sol direto da janela. Não estás nos meus versos.....da palma da mão.... nas linhas de infinito.


No tempo do tempo inverso do verso. Nos ponteiros parados da hora poesia. O escrito é terno e eterno.


Salta no mar.... brinca de voar ... deita-se sobre branca nuvem ... hora de ninar. Amor precisa descansar.


Falo-te baixinho, coração, no ritmo de teus batimentos suaves: nao desista, por mais calejado que esteja. Vê ao teu redor, o amor se esconde.



Esconde. Aparece. Camuflado. Ensurdece. Gosta de brincar de cabra cega. Criança levada é o amor.







sábado, 29 de janeiro de 2011

MEDO VOA...



Medo voa

medo vai-te

pr'outro lugar

bem distante

quero voar

leve como pluma

sem teu peso levar...

Nuvens carregadas


de tantas tristezas


Vão para longe


com o vento


E que esse

carregue o medo


pra bem longe

dos meus olhos...


Essa viagem me leva


mas eu retorno


leve como a pluma


do sonho renovado...


.
medo despedaçado


levito em mim


novamente feita de algodão.
..


Enfrentando os medos

Eles se vão

como nuvens,

carregadas

pela minha grande paixão

a vida que vem

de novo me buscar.

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Avessos



Lágrimas de pétala
Perfumes de solidão
Raios de chuva
Pingos de sol
Gotas de letras
Palavras de mar
Visões de silêncio
Gritos de olhar
Passos de verso
Rimas de dança
Choros de árvore
Folhas de criança
Beijos de pele
Toques de amor
Ritmos de coito
Gozos de samba
Sossegos de medo
Desesperos de paz



segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

BANDIDO SEDUTOR



És sedutor

Bandido sedutor
Poeta das bem traçadas linhas
Cigano que me envolve com as palavras
Em seus versos me acho, me encaixo
E em meus devaneios viajo
Nas curvas de seus poemas me perco
Entre deuses, anjos e demônios...
Escreves tão bem, lindamente
Com amor, com força
Estimula a imaginação minha
Sabes bem como fazê-lo...
És sedutor
Bandido sedutor
Com suas linhas vigorosas
Com seus escritos fortes, intensos
Com sua imaginação tentadora
Me envolve inteira
Me faz tua gueixa
Escrava das tuas vontades
Joga nas linhas o teu íntimo
Entrega tua alma e teu desejo
Sabes como ninguém, com maestria
Levar nossa imaginação ao delírio...
És sedutor
Bandido sedutor
Me envolve, me enfeitiça
Poeta das mil faces
Dos devaneios mais loucos
Das viagens mais efêmeras
Ao fundo do ser humano
Às profundezas da alma
À essência dos desejos carnais
Vais fundo com tua malícia
Tua deliciosa paixão
Pelas palavras expostas sem perdão
És inteiro, és sereno, és forte
Tens o poder da sedução
Sabes como ninguém
Nos levar à perdição...
És Don Juan das letras
Deus Eros, erótico
Desnudando-nos com as palavras
Seduzindo-nos com teus sussurros
Poeta da alma mestiça
Santo arcanjo
Transcedental
Tua voz, teu cantar
Teu jeito de enfeitiçar
Anjo, demônio, santo, poeta
És sedutor
Bandido sedutor





( homenagem a todos (as) os (as) poetas que têm o dom sedutor das palavras)
P.S.: nada como ilustrar um post sobre sedutores como uma foto de um Don Juan Johnny Depp... rsrs

domingo, 23 de janeiro de 2011

SEDUÇÃO



Sedução
Na palavra
No olhar
Na intenção
Te invento no verso
Te quero ao avesso
Boca língua saliva
Tudo em mim palpita
Te toco no sonho
Teu cheiro no corpo
Teu gosto no copo
Imagem
Vertigem
Miragem
Não importa
Te sinto
Te bebo
Me delicio
Embriagada em você
Senti o teu prazer
Mesmo estando ausente
É só espaço
Aqui dentro te trago
E degusto em minha saliva
Minha letra te traduz
E a ti me conduz
Aqui estás
Em minha pele
Em meu sangue
Corpo mente coração

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

VÍCIO


Sim, bebo versos.
Trago letras.
Me embriago desvairadamente
de poema-libertação.

Sorvo mais três xícaras
do puro chá poesia.

Entro em transe com o efeito
desse líquido-sangue-quente.
Vinho venho venha te quero...
É magia...
Meu corpo transmuta
Enlouquece coração
Mente paira sobre mim
Pássaro entorpecido sou
E dessa mistura
de sentimentos-sabores

O poeta se embebeda
E exala poros afora
palavras que enternecem

e corrompem
Poesia é vício...

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Versos Homeopáticos



No vazio de dentro ecoa o desejo de ter o amor teu em mim.... dentro de mim és inteiro, sou inteira, o tudo se faz.


E, ao amanhecer, voamos além do sonho , em uma embriagante viagem colorida. Rumo à vida.


Linha cruzada: meu ouvido te escuta em outra boca.



Porque na minha poesia é que deves te encontrar ... e te perder...



Disso faz-se a poesia: indefinida e infindável fonte de espalhar amor.



Nessa entrega de corpo e alma ao verso, nos transformamos na imagem real do amor. Infinito céu repleto de estrelas, onde a nossa alma-poesia gosta de repousar.



Pele-flor arrepiada de verso-paixão, colorida com os tons do árco-iris que se forma no céu da boca cheia de desejo do beijo do pássaro liberdade.




Olhar de paixão pela vida, de gozo no momento da escrita, de ternura no toque da palavra. Escrever é voar sem usar asas...




Meias-verdades são mentiras disfarçadas.




Gosto de calçar a verdade. A mentira me machuca muito os pés. Ela é pequena.




O que cabe em mim, eu não sei. Nem mesmo eu me caibo. Sou imensidão.




Somos como o vinho tinto esparramado na toalha de mesa… aguardando quem
nos sorva e nos embriague…





Bebo tua saliva, me embriago em tua língua, frenesi transe orbita



terça-feira, 18 de janeiro de 2011

SONHOS EM VERSOS




Sonho escrever versos que flutuem como plumas brancas


Que voem em direção ao coração de toda gente

Mas que permaneçam na alma de todo aquele que leva em si a alma do poeta

Sonho dançar rodopios feito bailarina

Com passos suaves e sorriso de menina

Com saia rendada que mais parece pétala de margarida

Sonho com palavras que me descrevam com paixão

Que mostrem ao mundo todo meu amor

Pela vida, pela arte, pelo conhecimento

Pelo desejo de crescer a todo momento

Sonho te ver passar na minha esquina


Na minha rua, nas avenidas da minha mão

Te vejo aqui junto ao meu corpo

Te sinto eterno em meu coração

Sonho tornar-te real , você que tem nome Real...

Que já viveu em um coração que compartilhamos

Por tanto tempo, em nosso crescimento,

Em estradas que percorremos em meio ao vendaval...

Mas sempre com versos de vida que juntos trilhamos.

Sonho que a vida te traga de novo aqui dentro

Do meu mundo, dos meus olhos, no meu abraço

Cabe tanto de ti em mim ... eu caibo na medida do teu passo

Nunca te esquecerei, mesmo que o vento te afaste de mim

Mesmo que as nuvens encubram meu céu...

Porque no alto do meu céu existem estrelas

Que pertencem aos olhos nossos

As árvores que plantei em versos

Reguei e cuidei como filhas, como frutos

Do amor que não morreu ... que não se esqueceu

Que no horizonte apenas se escondeu...

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

HAI KAI ANDO



OUTONO


A folha seca / suicida se lança / outono ela jaz




As flores ao chão
/ que o vento assoprou / outono cruel








VERÃO


Chuva de verão / inundou o vestido / curou secura




As ondas do mar / beijam as pernas dela / verão princesa




Beija flor azul / abraça margarida / fulgor de verão







INVERNO


Granizo na rua / o meu corpo esfria / inverno vil




Estrela sombria / nesse inverno fatal / se joga do céu




No mar invernal / o barquinho de papel / navega sonhos




Sereia do mar
/ o corpo de deusa / perdeu na areia




Converteu-se peixe / no lúgubre inverno / prisão-aquário



sábado, 15 de janeiro de 2011

Fragmentos poético-voadores



Para voar nas asas da poesia é preciso sentir uma liberdade que se traduz em versos. E esses versos enxergo na palma da tua mão, na beleza da tua alma...


Voar em qualquer direção, em qualquer estação. No ar ou no chão... voar está na imaginação. Eu voo com o coração.


É o amor que levamos conosco e que não precisa ser ouvido, apenas sentido. Vida pulsando num coração que apaixona e também apazigua. A paz da vida.


Meu sussurro te grita, meu silêncio canta pra ti, meus olhos fechados te enxergam, meu corpo cansado te implora... és miragem.


Letras são pássaros coloridos que pousam em folhas ansiosas por poesia-liberdade.


Poesia requer liberdade. Não existem amarras nem regras, apenas a paixão pelo inesperado, pela espontaneidade, pela simplicidade rebuscada. Gritemos através da escrita o sentimento que levamos no peito...


O amor nos carrega em seus braços, como anjos que voam ao encontro da luz. Amor aquece, enternece, acalenta a alma. Vivamos de maneira que o amor sempre encontre a chave de nossos corações.


Quero atravessar o sonho e encontrar do outro lado da ponte o brilho dos teus olhos. Viver-te no coração, sentir-te na pele... saber que a realidade é essa poesia que vejo em ti...


Sonhos existem pra impulsionarmos e tornarmos realidade nossos mais intensos desejos . Desejo viver de sonhar, e realizar o sonho de viver de amor; amor às pessoas, amor à VIDA...



Do sonho de amar acordo em teus braços, ondas do mar... que me levam ao som das ondas, na luz do luar... não quero voltar, vamos voar juntos nas entrelinhas desse verso...


Quero ler meu nome nas linhas da tua mão. Destino que escrevo na palma dos meus versos.



Palavras escritas no verso da mão. Na palma da poesia. No inverso da solidão. Te guardei na batida do coração.
Te tranquei a sete chaves na lembrança mais feliz. Assim te fiz livre. Me tornei o espelho que reflete teus desejos. Meu desejo é nosso voo.

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

A paz que eu preciso


A paz que eu preciso
Não encontro em nenhum lugar
Fora de mim
Porque sou filho do ar
Filho da terra
Filho do mar
A onda de amor que aqui se forma
Percorre todo o meu corpo
Me preenche e extravasa
Beija teu rosto
E nos une numa paz sem fim
O mundo me tem
E eu tenho o mundo
Em meu peito carrego
Energia e luz
E a eterna vontade de voar
Em meus olhos surge um brilho
De paixão pela vida
Em minhas mãos brotam flores
Que exalam perfumes suaves
Suas cores adentram minha alma
Violeta, jasmim, rosa, girassol
A paz que eu preciso
Está em meu ventre
Está em meu sangue
E em minha respiração
Na minha interna canção
E em tudo o que Deus fez de mim

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

INCERTEZAS


Tem dias em que me sinto assim, sem saber o que sou e onde anda meu pensamento.
Também não sei pra onde estou seguindo, e onde devo chegar.
As idéias fogem, não sabendo o que é sim e o que é não.
O que me era certeza escapa por entre os dedos...
Mas a penumbra passa e volto a enxergar o sol tímido no céu invernal.
Porque por mais escuro que o céu esteja, lá sempre haverão estrelas.
Mesmo não as enxergando, elas existem.
Na nossa caminhada devemos estar prontos pra superar os percalços, transpor barreiras.
Barreiras essas que nos fazem , às vezes, perder as esperanças.
Mas não desisto. Quero muito acreditar nisso. Quero e posso.
A sinuosidade da estrada não a torna intransponível, apenas exige mais cautela.
As incertezas da vida são inevitáveis .... tudo é passível de mudança, a qualquer momento.
O segredo é aprender a se proteger dos possíveis golpes que surgirão, uma hora ou outra.
Manter a mente focada, a fé na beleza da vida ( mesmo que esta esteja escondidinha lá em algum momento que não se sabe quando surgirá ), e seguir adiante nos objetivos.
E sonhar sempre!
Mas sonhar acreditando que tudo é possível, que o sonho pode, num estalar de dedos, transformar-se na mais louca e deliciosa realidade.
Prefiro o incerto, que me acelera o coração e faz os olhos brilharem, ao certo ( ei, pera lá, existe certo e errado ? ), que dá uma sensação de vida pela metade, morna. Aprendi isso, depois de muito quebrar a cara ... depois de deixar de fazer escolhas por medo de errar. Medo de perder o "porto seguro", que, no final das contas, mostrou-se mais incerto que a outra opção que tivera naquele momento.
O nosso porto seguro somos nós mesmos e nossa paz interior. Não está fora de nós.
Portanto, acho que a gente deve sempre arriscar. Quem não arrisca, corre o risco de não viver. De viver pela metade, sobreviver, ser um barquinho ao relento.
Claro que pra isso é preciso ter coragem. E isso a gente aprende com a vida ( assim espero...).
Só quero viver sem a sensação de ter deixado de tentar, de ter sido covarde. Não quero deitar no travesseiro com aquela inquietude que pode acarretar o fato de não ter tentado.
Incerto por incerto, quero mais é viver!


P.S.: sei lá, só um desabafo...

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

PS: EU TE AMO


Porque as vozes que nos encantam
São os silenciosos diálogos do coração
Palavras vazias não nos enchem de amor
Já a escrita sentida, na palma da mão,
nos transbordam emoção
Palavras escritas no verso da mão
Na palma da poesia
No inverso da solidão
Te guardei na batida do coração
Te tranquei a sete chaves
Na lembrança mais feliz
Assim te fiz livre
Me tornei o espelho que reflete teus desejos
Meu desejo é nosso voo
Ser pássaro e estar sujeito às interpéries
Ser estrela e estar pronto pra brilhar
Ser cachoeira e aprender a transpor barreiras
Ser criança e aprender a brincar
Ser adulto e eternizar a criança
Desejo de menina: crescer ao teu lado
Vivermos eternamente
Na mágica e solene estrada da poesia
Pra juntos buscarmos a paz da imensidão



quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

SONHOS E FLORES


Andei através dos tempos. Nadei por sobre montanhas. Voei pisando em ondas. Transpus o espaço invisível existente entre nós. Sonhei-te. ( Flávia Braun )

Em meu sonhos, fizeste da realidade o melhor de mim. ( Tatiana Kielberman )


A realidade vestida de nossos sonhos e envolta na magia do amor. Somos nossa melhor versão, juntos. ( Flávia Braun )


No sonho ou na realidade, construímos pontes. Não sabemos para onde ir, mas temos consciência do ponto a que queremos chegar. ( Tatiana Kielberman )


Mais importante que a chegada é o percurso...que tenhamos caminhos sempre floridos ( as pedras serão ultrapassadas ), exalando o mais suave perfume de amor e liberdade... ( Flávia Braun )


As flores do amor trazem a perspectiva para novos sonhos. Não são isentas de espinhos, mas os escondem muito bem! ( Tatiana Kielberman )


Sim, e elas estão por toda parte... as cores do árco-íris são caminhos de flores. No sorriso de uma criança há uma flor chamada amor-perfeito. Percebamos: em tudo podemos florescer... ( Flávia Braun )


Talvez sejamos as próprias flores em si... Ainda que nosso coração ceda, por vezes, às tentações dos espinhos. O odor e a beleza das rosas falam mais alto em meio às sensações! ( Tatiana Kielberman )


Quero, ao fim de tudo, abraçar com carinho o jardim que me guiou. Os percalços da vida só existem pra mostrar-nos o caminho mais certeiro, mais leve , mais perfeito. O mar, o céu, as montanhas e os vales, todos alcancaremos no momento certo, no voo do mais belo e libertador pássaro. Pássaros somos...( Flávia Braun )


OBS: Gostei tanto deste post, que resolvi postar também aqui no Palavras! =)

AS PAREDES DO QUARTO








Não havia melhor caderno de desenho que as paredes do seu quarto.


Nele a menina pintava seu céu, seu mar e suas borboletas. Sempre cabia tudo.


E viver cercada de sonhos pelos quatro cantos a fazia dormir em paz, toda noite.



Eram as tatuagens nas paredes brancas de seu quarto, os desenhos que fazia.


Porque ela os deixaria gravados ali, até as paredes ficarem velhinhas, enrugadas,

como sua pele cheia de cicatrizes.


E, mesmo envelhecidas, as paredes sempre teriam aquelas lindas cores e os sonhos pra sempre estampados.


Cada vez que a menina pegava seus pincéis coloridos ela fechava os olhos.


Fechava os olhos e imaginava onde queria estar: mais uma paisagem linda se formava.


Um dia era uma praia com brancas areias no litoral nordestino


Outro, uma montanha alta, linda e cheia de nuvens a abraçando


Certa vez sonhou que estava numa tribo cheia de índios fazendo a dança da chuva


Choveu nas paredes de seu quarto!


Os pingos de chuva vinham acompanhados de alguns poucos trovões


E havia tantas estrelas que perdera a conta: estivera nas mais longínquas constelações


Toda a família estava ali, em momentos diversos:


A irmãzinha no carrinho de bebê vermelho, engatinhando pelo chão e derrubando

os enfeites da mesa da sala


Mamãe e papai arrumando as coisas pro almoço de domingo


Desenhava as amigas queridas ( estas com sorrisos no rosto)

e também as gurias que a chateavam ( viviam carrancudas!)


Os meninos estavam na parede da esquerda, jogando bola no campo do colégio


Ser criança não é fácil não - ela pensava - dar conta de desenhar tanta coisa...


Na escola havia um porteiro grisalho, corcundo , o seu João: lá estava ele, grudado ao lado da porta

( Seu João às vezes faltava na escola, mas estava sempre presente em sua tela )


E a noite chegava, era hora de dormir: mandava beijos pras companheiras joaninhas ( bem do lado de seu travesseiro) e pras andorinhas que voavam pelo teto.


Hora de dormir e sonhar, hora de fazer parte da tela viva de seu quarto.


quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

SUSSURROS AO VENTO...


Não trajava asas assim, como os outros anjos. Usava-as nos olhos. E quem enxergasse o brilho de seu olhar, alçava o mais perfeito voo...

E ela sabia que , para voar, nada mais era necessário além de um coração leve e de uma alma livre.

Atravessaria todos os mares e montanhas do mundo, só pra ver novamente teu sorriso. Sentir tua respiração. Tocar teu coração.

Ser barco, ser mar, transportar em si o amor .... ser luz e ser sol ; ser flor e também a água que nutre. Ser VIVO. Sou vivo e vivo de amar... sou mar.

O amor que nutre a alma eleva o corpo e cura as dores... o mar que molha a face leva consigo as lágrimas... renova as forças, faz renascer...

Ela morria de saudade de voar. De ser leve. De amar. Porque pra alçar os melhores voos é necessário ter amor no coração e paz de espírito.

A escrita pode até calar por um momento...mas nunca será tirada de nós. É a maneira de vertermos nossas emoções em forma de lindos pássaros que voam em busca de olhos e corações que os abriguem.

Desejo-te raios de sol beijando tuas lágrimas, transformando teu rosto num lindo arco-íris.


Andei através dos tempos. Nadei por sobre montanhas. Voei pisando em ondas. Transpus o espaço invisível existente entre nós. Sonhei-te.


Quero, ao fim de tudo, abraçar com carinho o jardim que me guiou. Os percalços da vida só existem pra mostrar-nos o caminho mais certeiro, mais leve , mais perfeito. O mar, o céu, as montanhas e os vales, todos alcancaremos no momento certo, no voo do mais belo e libertador pássaro. Pássaros somos...




O amor , pra ser verdadeiro, tem que carregar consigo certos véus de tristeza e dor.... amor muito colorido, sem a profundidade real do sentimento, não é real, é apenas ilusão... Amar é entregar-se às delícias e as amarguras que o sentir acarreta...


P.S: Não consegui alterar o tamanho da fonte nos versos iniciais....sugiro iniciarem a leitura com uma lupa....rsrsrs ( sorry, amigos )

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

MANTRA II



O som sereno do mar

da orquestra das ondas

que vêm e que vão

escuta

escuta bem suavemente

tua alma que sente

águas límpidas

águas que refletem

a cor do luar

o voo sonoro da gaivota

escuta

escuta o ritmo da maresia

fecha teus olhos

sente nos pés essa onda

de tranquilidade

de serenidade

de chuva que te invade

são ventos de paz

são raios de amor

sente!

senta e relaxa

respira profundamente

escuta o som...

onda beijando a areia

canto de sereia

que acalma a alma

te enche de amor

Ser de luz

Ser de paz

Ser de bondade


Sou feita de amor

Eu sou o amor

Sou feita de amor

Eu sou o amor

BEM TE VI


EU QUERO TU
TU EU QUERO
TE QUERO
QUERO-TE
QUERO QUERO
BEM TE VI
EU TE VI
TU EU VI
VI A TI
QUERO TE QUERO
VI QUEM QUERO
QUERO QUEM VI
MEU BEIJO
BEIJO A TI
TEU BEIJO
EU SENTI
QUERO QUERO
BEM TE VI
QUERO TE QUERO
BEM QUE TE VI
SÓ A TI