sexta-feira, 9 de julho de 2010

À AMIZADE

À AMIZADE

A verdadeira amizade é um alimento pr'alma
É uma canção de ninar
Um aconchego sem fim
Uma ponte ao encontro da paz
A mais bela e indispensável flor do jardim

A amizade verdadeira não vê barreiras
Não obedece a limites
Segue adiante, sem fronteiras
De mãos dadas com o tempo
Porque dele torna-se aliado estrada afora

A distância ela desconhece:
O pensamento e a alma dos amigos
Juntos percorrem a vida
E seus percalços, suas dores, suas vitórias
Em todas as etapas da existência

Mesmo sem se ver os amigos por vasto tempo
A amizade perdura no ninho
Não enfraqueçe o laço doce e forte
Não adormecem o amor e carinho
Que a verdadeira amizade conhece!

( FB )












Esta maravilhosa música que segue abaixo me foi apresentada pela minha querida Lilian Trigo, que vem me presenteando com seu vasto conhecimento cultural e musical. Obrigada, amiga!




L'amitie - Françoise Hardy


Beaucoup de mes amis sont venus des nuages
Avec soleil et pluie comme simples bagages
Ils ont fait la saison des amitiés sincères
La plus belle saison des quatre de la terre
Ils ont cette douceur des plus beaux paysages
Et la fidélité des oiseaux de passage
Dans leurs cœurs est gravée une infinie tendresse
Mais parfois dans leurs yeux se glisse la tristesse
Alors, ils viennent se chauffer chez moi
Et toi aussi tu viendras
Tu pourras repartir au fin fond des nuages
Et de nouveau sourire à bien d'autres visages
Donner autour de toi un peu de ta tendresse
Lorsqu'un autre voudra te cacher sa tristesse
Comme l'on ne sait pas ce que la vie nous donne
Il se peut qu'à mon tour je ne sois plus personne
S'il me reste un ami qui vraiment me comprenne
J'oublierai à la fois mes larmes et mes peines
Alors, peut-être je viendrai chez toi
Chauffer mon cœur à ton bois


TRADUÇÃO


Muitos de meus amigos vieram das nuvens,
Com o sol e a chuva como bagagem.
Fizeram a estação da amizade sincera,
A mais bela das quatro estações da terra.

Têm a doçura das mais belas paisagens,
E a fidelidade dos pássaros migradores.
E em seu coração está gravada uma ternura infinita,
Mas, as vezes, uma tristeza aparece em seus olhos.

Então, vêm se aquecer comigo,
e você também virá.

Poderá retornar às nuvens,
E sorrir de novo a outros rostos,
Distribuir à sua volta um pouco da sua ternura,
Quando alguem quiser esconder sua tristeza.

Como não sabemos o que a vida nos dá,
Talvez eu não seja mais ninguém.
Se me resta um amigo que realmente me compreenda,
Me esquecerei das lágrimas e penas.

Então, talvez eu vá até você aquecer
Meu coração com sua chama.




Este post eu dedico a todos aqueles que me dão o privilégio de sua verdadeira amizade, e estes sabem bem quem são.
Mas permito-me citar dois nomes mais que especiais: Luciane Pontes e Patrícia Tobo.
AMO VOCÊS!!!!!

segunda-feira, 5 de julho de 2010

AMAR... E SÓ...


Eu não sou egoísta, mas eu quero um amor assim:
Eu dito as regras, e você as aceita, tim tim por tim tim.
( Ah, eu quero um amor só pra mim )
Claro que nesse amor, seus desejos serão satisfeitos.
Mas apenas por mim...
Queres, mesmo, meu amor?
Então aceite meu eterno não saber quem sou...
Se quiseres me entender, de forma razoavelmente confiável, esqueça.
Uma encarnação não seria suficiente.
Talvez nem mesmo a eternidade.
Se me queres, não compreender é fundamental.
Apenas sinta.
Sou puro sentimento, movimento, mutação.
Sou coração.
Se te quero, é porque sinto.
Mas não esqueça: só pra mim
Tim tim por tim tim.


( FB )

domingo, 4 de julho de 2010

O DESPERTAR


Ecoa em si o suave som da alma.
Do céu, a Lua ilumina o quarto escuro.
Nessa mágica cena, do sonho desperta.
E vive a noite mais intensa de sua existência...
Noite em que o sonho a leva ao mundo real.

E o que é real, mesmo? ( ela sempre questiona )
Real é sentimento, é movimento, é emoção, é coração.
Real é o amor, que é impalpável, inspirador.
E ela resolve se aninhar nos braços dele, nesse calor sem fim.

Do sonho guardou a vontade de ser o mais belo dos jardins.
Da janela do quarto a Lua acenou,
Mostrando que seu despertar fora certeiro.
A hora de viver o mais intenso sentimento chegara.

Olhou nos olhos dele, tocou seu rosto.
O sorriso confirmando o futuro que se anunciava.
Mais presente do que nunca.
E eterno por toda sua duração.

( FB )

ETERNA BUSCA


Dentro de mim há tanto, há tantas, há tintas, que pintam uma aquarela de emoções distintas, porém entrelaçadas. Num laço demasiado complexo.

Sem nexo, mistério. Minha alma me esconde um segredo. Desvendá-lo me faz viver e viver, buscar e buscar.

A busca segue, desenfreada. Caminhos se acertam, caminhos se perdem. Mas sempre avante, sempre no compasso.

Quero novos ares, novas flores, novas cores, novos horizontes. Só vive intensamente quem ultrapassa suas dores.

Dores cessam, feridas cicatrizam. Amores se transformam, amores se reformam. E a vida segue, em busca de surpresas que elevem a alma. Calma.

Calma, até que encontres o desassossego. O tormento, o mar revolto. As ondas que te virem ao avesso. A paixão que te sufoque e te embriague.

Mas a busca segue até o supremo, até o AMOR maior. O amor que ultrapasse barreiras, maremotos, furacões.

E o barco chega , enfim, em águas calmas e límpidas. Lindas, pacíficas, protetoras.

E o AMOR te invade e te eleva aos céus, onde a Lua te espera com braços abertos.

Não temas, não temas! se a Lua te chama, aceites....ela sabe o que é o amor. Tem olhos brilhantes e sagazes, tudo vê. Te entrega...

( FB )

quinta-feira, 1 de julho de 2010

VIVER NÃO DÓI

VIVER NÃO DOI


Definitivo, como tudo o que é simples.
Nossa dor não advém das coisas vividas,
mas das coisas que foram sonhadas
e não se cumpriram.

Por que sofremos tanto por amor?

O certo seria a gente não sofrer,
apenas agradecer por termos conhecido
uma pessoa tão bacana,
que gerou em nós um sentimento intenso
e que nos fez companhia por um tempo razoável,
um tempo feliz.

Sofremos por quê?

Porque automaticamente esquecemos
o que foi desfrutado e passamos a sofrer
pelas nossas projeções irrealizadas,
por todas as cidades que gostaríamos
de ter conhecido ao lado do nosso amor
e não conhecemos,
por todos os filhos que
gostaríamos de ter tido junto e não tivemos,
por todos os shows e livros e silêncios
que gostaríamos de ter compartilhado,
e não compartilhamos.
Por todos os beijos cancelados,
pela eternidade.

Sofremos não porque
nosso trabalho é desgastante e paga pouco,
mas por todas as horas livres
que deixamos de ter para ir ao cinema,
para conversar com um amigo,
para nadar, para namorar.

Sofremos não porque nossa mãe
é impaciente conosco,
mas por todos os momentos em que
poderíamos estar confidenciando a ela
nossas mais profundas angústias
se ela estivesse interessada
em nos compreender.

Sofremos não porque nosso time perdeu,
mas pela euforia sufocada.

Sofremos não porque envelhecemos,
mas porque o futuro está sendo
confiscado de nós,
impedindo assim que mil aventuras
nos aconteçam,
todas aquelas com as quais sonhamos e
nunca chegamos a experimentar.

Como aliviar a dor do que não foi vivido?

A resposta é simples como um verso:
Se iludindo menos e vivendo mais!!!

A cada dia que vivo,
mais me convenço de que o
desperdício da vida
está no amor que não damos,
nas forças que não usamos,
na prudência egoísta que nada arrisca,
e que, esquivando-se do sofrimento,
perdemos também a felicidade.

A dor é inevitável.

O sofrimento é opcional.

-------------------------------------

Amigos, não tenho certeza da autoria desse texto , mas chegou a mim como sendo de Drummond. Quem souber, me confirme a autoria ?

Ando sem escrever, eu sei. Mas espero em breve ( muito em breve ) voltar a escrever alguns versos - me faz falta!! Por enquanto, posto textos que me tocam.

Beijos no coração!!!