sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Amor que liberta






intensidade
tão terna
ternura 
avassaladora
o avesso 
do amor
a paixão 
fatal
transbordante
sedução total
os sentidos
todos imersos
em ti
 me completas
me entrelaças
me enlouquece
e de ti 
sou eterna
escrava
em permanente
voo
de liberdade
em ti
me ultrapasso
me lanço
aos ventos
do amor
que me invade
e me faz 
renascer



quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Me encantas...





tanto me encantas
que já nem sei
se és realidade
ou se te sonhei

tanto me encantas
que perdi-me a contar
o quanto de estrelas
 me fazes enxergar

tanto me encantas
que o juízo me fugiu
só quero poder voar
e em teus braços pousar

tanto me encantas
que nada mais me importa
só quero abrir os olhos
e ver-te aqui
desperta de meus sonhos
na realidade
dos meus dias

me encantas
me enlaças
me atiças
me incendeia ...







quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Estás em mim







Sabe, amor
quando aquele sentimento
chega assim, 
de repente
te preenche
e inunda teu coração
percorre tua alma
se aloja 
em cada entranha
de tua pele
e fica em ti
como tatuagem...
assim estás
aqui, em mim
guardado a sete chaves
em um mundo só teu
que criamos 
à dois
e
aqui dentro
te sinto
assim:
eternamente
em mim

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Amor que nasce


Esse
amor que nasce
que se espreguiça
e cresce 
precisa de amparo
de água
de luz
de paz
precisa de ti
do teu amanhecer
pracisa encontrar-se
em teu olhar
em tua respiração
no bater do coração
no cintilar
dos primeiros raios solares
na suave brisa
que afaga tua face
e que beija-te
até o sol se pôr...


                                    ( Foto: Alex Terra )

domingo, 31 de agosto de 2014

Apenas um desabafo








Você não é a roupa que veste.
Você não é o carro que dirige.
Você não é o restaurante que frequenta.
Você não é a profissão que exerce.
Você não é o local onde mora.
Tudo o que é material, vai embora.
Tudo o que o dinheiro compra um dia acaba.
Você é o sentimento que leva.
Você é a impressão que deixa.
Você é a compaixão que sente.
Você é o que aprendeu: com o exemplo dos pais, com o que a vida lhe ensinou.
Voce é o que transmite, a energia que emana.
Você é a sua alma.
Você é a essência da vida.
Você é o amor que transmite, que leva e que perpetua.

sábado, 30 de agosto de 2014

Coração






ah....coração bandido!
me pegas de assalto
como um fugitivo
dobrando a esquina...

tomas de mim o senso
arremessa-se do penhasco
faz de mim 
escrava 
de tua insensatez

hoje nem sei onde ando
se no caminho 
ou fora do ar
se palpitas
ou se me sinto sufocar...

sei que ando voando
voo andando
sobrevoo
minha própria 
imensidão
minha alma
tua visão...




                                       ( Foto: Alex Terra )


quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Sonhos







posso te contar um segredo?
assim, baixinho...
encosta aqui
teu ouvido.
sabes que consigo
te ver 
mesmo sem te enxergar?
que posso te escutar
mesmo sem te ouvir?
acho que sabes.
sentes...
assim, só entre nós:
abraça forte
esse sonho
que partilho contigo
pega na minha mão,
 vem comigo

onde chegaremos?
não sei
só penso ( e sinto )
que sentes 
e pensas
assim também

isso foi um sonho?
talvez...
mas de que é feita 
essa vida
senão de sonhos
que acordam
num instante 
de descuido?

lembre-se:
que os nossos sonhos
nunca adormeçam!




terça-feira, 12 de agosto de 2014

Recomeço



Tenho em mim
 tantos fragmentos
tantas partes
 de um eu que desconheço
e que segue a vida,
tentando ajustar 
e encaixar


A mente vai pra um lado
o corpo vai pro outro
a ilusão me fraciona
me multiplica

o sonho me preenche
então!

Sendo assim
a maior parte de mim
 (nunca saberei quantas sou)
foi salva pelo sonho
pelo eterno
não saber
quem sou

se amanheço
se adormeço
se sou início
se sou tropeço

só sei que
 a cada dia
sou um recomeço





quinta-feira, 24 de julho de 2014

Ciranda




E na roda gigante que é a vida podes me segurar um pouco mais lá em cima?

troco uma dúvida por um algodão doce uma dívida por uma maçã do amor Ah, Senhor só quero me divertir antes do sol se pôr...

Nesta ciranda
prometo me comportar
vamos brincando
de esquecer problemas
e escrever poemas
até o sol raiar.

Dúvidas






O que tem que ir

que se vá
sem receio
de deixar
o que tem 
pra ficar

Como discernir
o que fica
do que tem
que partir?

Ir, ficar
Existência, lugar
tanto faz
o que importa
é amar

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Imortais



No mausoléu 
dos imortais
o que jaz
é a vida

tantas estórias
personagens
imagens
muitos inícios
incontáveis
fins

São 'Arianos'
'Rubems' 
'Joãos' 
infinitos em três
onde um ser 
aloja multidões

O que vai
se confunde
com o que fica
a obra 
a vida
que é 
o próprio
artista








quarta-feira, 16 de julho de 2014

Começo do fim




a poesia
moradia das tristezas
penhasco das desilusões
desértico solo
rochosa agonia
ilha dos náufragos
carente de maresia

poeta doente
morre a cada dia
ao ver-se distanciar
da origem de sua fonte
o amor que lhe escapa
da linha do horizonte
a nescente outrora roubada
várzea dormente

coração já demente
convalescente
nada mais sente
os versos lhe afagam
para consolo 
 numa morte 
iminente
sem dolo 
apenas silente


terça-feira, 8 de julho de 2014

Sem direção



queria escrever-te
 algumas palavras.
mas tudo o que me resta
 é o silêncio.
aqui, nesta mala.
o silêncio desta estrada,
vazia.
que segue em frente.
sem rumo.
o horizonte, 
obscuro.
a chegada,
inexistente.
o destino
sem direção.
o futuro
que ficou
perdido 
naquela estação.
a viagem
que encerrou
antes mesmo
do início.
ponto de partida
indefinido.
e chegada
sem solução.



quinta-feira, 26 de junho de 2014

Encontro







Em que esquina desta estrada 
tua vida e meus sonhos
finalmente 
se esbarram?
No calor dos nossos beijos, 
 na comunhão de nossas mãos. 
No sentimento
de sempre termos
um ao outro pertencido
sem tampouco perceber.
Alma, corpo, coração
sensação
de paz completa
e, ao mesmo tempo,
uma enorme revolução.
Um maremoto,
um furacão
amor
revestido
de pura paixão.


quinta-feira, 5 de junho de 2014

Das interpretações






Ler
 um poema 
é como 
encontrar 
uma garrafa
 há muito 
esquecida 
no mar: 
alguns encontram 
uma bela carta.
 outros, 
preciosos tesouros.
  poucos 
a encontram vazia,
e, ainda, 
existem 
aqueles que 
a ignoram...



quarta-feira, 14 de maio de 2014

Duelo com o silêncio








Minhas palavras 
se confundem 
com meu silêncio
no constante duelo
que travo na mente
displicente
simplesmente
inconsciente

É preciso 
calar
rapidamente
este silêncio
demente


Ouves?
Sentes?
porque esse silêncio
incontrolável
nunca cala,
numa luta
iminente:
culpado
ou inocente?




terça-feira, 13 de maio de 2014

Ausência






cadê você
que só existe
onde não estou?

num lugar inexistente
que permanece,
insistente,
em minha mente

ausente
seu olhar
que sinto aqui,
onipresente


segunda-feira, 12 de maio de 2014

Sem tradução










que contradição essa
de estar sempre com pressa
e, lentamente,
por entre os dedos,
me deixar escapar


em geral, 
não me passo à limpo
me concluo sem revisão
mas às vezes
tamanha é a confusão
que me edito
e contradigo


impulso
impaciência
intuição
coração
o que me define
não tem tradução

terça-feira, 8 de abril de 2014

A viagem






Nesse vagão que eu entrei
tão difícil te encontrar
como se eu viajasse na terra
e tu flutuasse no ar...

Nos trilhos dessa jornada
tantas vezes me perdi
sem saber pra onde ia
tampouco a hora de partir

Passageiros aloprados
reféns das correntezas
fui buscar o que nem sei
enquanto voltavas com razas certezas

Se vou pelos ares,
pelos mares,
 pelos trilhos
tanto faz:
o que busco está oculto -
está bem ali -
em nenhum lugar







domingo, 19 de janeiro de 2014

Imensidão







Nem sei mais
se hoje te escrevo
para que me leias
ou para que traduzas

Se tudo tem só uma origem
se os versos se fundem 
em um só
somos como um espelho
que a si mesmo reflete
o Criador 
que se vê
imerso na criação

Talvez, então,
não haja tradução
não haja interpretação:
sem solução!

Mas eis a graça
da poesia
da vida 
do amor:
não caber 
em uma definição
não limitar-se
a si mesmo,
conter 
a imensidão.