quarta-feira, 14 de maio de 2014

Duelo com o silêncio








Minhas palavras 
se confundem 
com meu silêncio
no constante duelo
que travo na mente
displicente
simplesmente
inconsciente

É preciso 
calar
rapidamente
este silêncio
demente


Ouves?
Sentes?
porque esse silêncio
incontrolável
nunca cala,
numa luta
iminente:
culpado
ou inocente?




terça-feira, 13 de maio de 2014

Ausência






cadê você
que só existe
onde não estou?

num lugar inexistente
que permanece,
insistente,
em minha mente

ausente
seu olhar
que sinto aqui,
onipresente


segunda-feira, 12 de maio de 2014

Sem tradução










que contradição essa
de estar sempre com pressa
e, lentamente,
por entre os dedos,
me deixar escapar


em geral, 
não me passo à limpo
me concluo sem revisão
mas às vezes
tamanha é a confusão
que me edito
e contradigo


impulso
impaciência
intuição
coração
o que me define
não tem tradução