domingo, 30 de janeiro de 2011

Fragmentos - Versejando





Voo rasante sobre as águas. Teu amor me faz gota, onda , mar, oceano. Me faz infinito.


Verso versado inverso invertido .... palavra escrita inventada decifrada.... poesia descompensada apressada passarinhou...voou....


Choque de realidade: acordo com o sol direto da janela. Não estás nos meus versos.....da palma da mão.... nas linhas de infinito.


No tempo do tempo inverso do verso. Nos ponteiros parados da hora poesia. O escrito é terno e eterno.


Salta no mar.... brinca de voar ... deita-se sobre branca nuvem ... hora de ninar. Amor precisa descansar.


Falo-te baixinho, coração, no ritmo de teus batimentos suaves: nao desista, por mais calejado que esteja. Vê ao teu redor, o amor se esconde.



Esconde. Aparece. Camuflado. Ensurdece. Gosta de brincar de cabra cega. Criança levada é o amor.







4 comentários:

Fernando Ramos disse...

"Teu amor me faz gota, onda , mar, oceano."

De pequena à imensidão. De recata à insensata.

"hora de ninar. Amor precisa descansar."

E quanto ainda não compreendem isto... Todo amor precisa descansar de si mesmo.

Beijocas, linda!

Tatiana Kielberman disse...

Flavinha,

Suas palavras são tão doces e puras, que sempre encantam a gente!

Que você nunca pare de versejar!

Beijos, amada!

Cintia disse...

Te amo minha amiga,amo..amo..lindas e intensas as tuas palavras, inspiram e emocionam...
beijãoooo
Cíntia Adriana Mottin.(@adrianamott)

Renan O. Pacheco disse...

"O escrito é terno e eterno."
Adorei, muito legal o texto todo.