quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

A paz que eu preciso


A paz que eu preciso
Não encontro em nenhum lugar
Fora de mim
Porque sou filho do ar
Filho da terra
Filho do mar
A onda de amor que aqui se forma
Percorre todo o meu corpo
Me preenche e extravasa
Beija teu rosto
E nos une numa paz sem fim
O mundo me tem
E eu tenho o mundo
Em meu peito carrego
Energia e luz
E a eterna vontade de voar
Em meus olhos surge um brilho
De paixão pela vida
Em minhas mãos brotam flores
Que exalam perfumes suaves
Suas cores adentram minha alma
Violeta, jasmim, rosa, girassol
A paz que eu preciso
Está em meu ventre
Está em meu sangue
E em minha respiração
Na minha interna canção
E em tudo o que Deus fez de mim

3 comentários:

Tatiana Kielberman disse...

Linda Flavinha,

Amei a reflexão que você fez!

Sempre acreditei mesmo que a maior paz do mundo reside dentro de nós - onde menos pensamos encontrá-la!

Beijos e muita paz sempre em sua vida!

Andarilha disse...

A paz que precisamos está em nós mesmos ..

bjs

Suzana Martins disse...

Precisamos sempre de paz...
Paz, entre e faça os seus barulhos!

Beijos linda!!^^