sábado, 13 de novembro de 2010

VIÉS


Vou ao teu encontro: não estás
Chegas quando já fui
Vida vai quando me perdi
Me encontro na alameda obscura
Onde nada se vê
Enxergo, súbito, tudo
Na escuridão da tua ausência
O sol escurece, a lua aquece
A água seca, o som cala
O espelho esconde a imagem
Que não vejo de mim
Não me encontro em lugar nenhum
Quando só o que quero é fugir
Horizonte logo aqui
O próximo passo vai pra trás
Voo de cabeça pra baixo
Pássaro inverso
No verso
Quer viver de gaiola
Amarra todo o meu corpo
Nas entranhas da tua boca
E o grito que calo
Dentro ecoa e me ensurdece
E o silêncio que me habita
Faz explosão estrondosa
O viés das vias das linhas da vida
Morte de mim aos poucos aqui
Me carrega nos braços gélidos
E sinto-me aquecida de súbito
Ruas de concreto, caminho nas nuvens
Vejo de cima o mundo azul
Aqui é paz.
É viés.
Enviesada na minha teia de areia
Enraizada na tua saliva maldita
Quero viver de morrer em ti

Hora de virar, revirar , transpassar, reverter
O viés que me trouxe até aqui
Onde nem imagino estar
Lugar que me guarda como um segredo
A sete e centas chaves.

7 comentários:

samuelvigiano disse...

"morte de mim aos poucos aqui"....

Eu escreveria isso...
Adorei!!!
Parabéns

Bruna disse...

Adoro passear e sentir pelos caminhos do teu "viés"... Cercado de mistérios e transbordando de emoções... Intensidades.

Te adoro, poeta mui querida!


Beijinhos,

Bubu

Única e Exclusiva disse...

"Hora de virar, revirar , transpassar, reverter" Meu viés da vez, é esta linda. Virar a pagina. E olha esta sendo fácil, algo ou alguém esta colaborando. Tomara que eu resista ate o fim.

Sempre gosto daqui!

bjos, Ú&E =************

Silvana Villas-Boas disse...

Amei teu poema.
"Vou ao teu encontro: não estás
Chegas quando já fui".....
A vida tem destes desencontros, infelizmente.
Só nos resta viver em plenitude e felicidade.

Bjussss
Sil

Tatiana Kielberman disse...

Amoores, encontros, olhares e desencontros...

O viés de tudo aquilo que queremos na vida!

Linda poesia!

Beijos, querida!

CONRADO DALL´IGNA disse...

Ah, essa vida maluca que nos leva por tantos caminhos e a tantos (infelizmente)desencontros!
Lindas palavras, estás cada dia mais poetisa, melhor!
Beijos com carinho!
Con

Anônimo disse...

Bonito mensaje fuerte. Nunca pensé que era tan fácil. respetos a usted!