sexta-feira, 19 de novembro de 2010

POEMA LEVE


Suavidade da brisa que beija teu rosto
Encanto na pele que toca teu cabelo
Sorriso nos olhos que sentem teu beijo
Alegria de pluma na boca que te encontra
Sussurro é minha voz dançando música lenta com teu ouvido
Assopro é o vento de mim que te sorri
Afastando as folhas que te caem no corpo
Levando embora a chuva que escorre de ti
Vamos ensolarar!
Vamos caminhar nas linhas da vida
Das palmas de nossas mãos
Colher flores que brotam na estrada
E brilhos das estrelas cadentes do céu
Guardar a felicidade no presente, agora,
com laço de fita
Crianças gostam de brincar de ser gente grande
Adulto vive mascarando sua criança
Não precisa ...
Eternos aprendizes que se encantam com a vida
Que correm na grama de pés descalços
Sentam na areia pra construir castelos
Brincam de ver as nuvens no céu
Gente grande no sentimento
Na vontade e no desejo
De abraçar o amor e de carregar a felicidade nos braços
Suavizando o peso das responsabilidades
Dividindo os medos de errar o caminho
E somando todas as batidas dos corações.

8 comentários:

M.M.Soriano disse...

O vento é o cavalo do poeta...
Lindo poema!

Copiei para o meu bloco de notas.

beijo-borboleta!

PANAPANÁ!

Silvana Villas-Boas disse...

Teus poemas são ótimos dispositivos para ter-se noites tranqüilas e com belos sonhos. Basta apenas vislumbrar mentalmente tuas palavras doces e sensíveis e gravá-las na alma.
Bjusss leves, como teu poema
Sil

Cristiano Melo disse...

Flávia,

antes de comentar o conteúdo, não sei se foi intencional ou não, mas o formato do poema ficou bem simétrico, tem um quê de poesia concreta e, como a sua personagem dileta que é uma das minhas também, Amélie Poulain, vi nas nuvens fotografadas de seu poema um senhor de cartola!

O conteúdo é um lírico convite a brincar, a deixar o adulto criar, ser criativo e solto, sem máscaras, ou pelo menos com o mínimo possível.

"Sussurro é minha voz dançando música lenta com teu ouvido" ADOREI!

super beijos e continuemos em nossa alegria de escrever.
:)

Tatiana Kielberman disse...

Um dos poemas mais lindos seus, Flavinha!

Leve, livre e solto... precisamos mesmo nos soltar para a vida, deixar que ela nos leve um pouco!!

Adorei!

Um beijo enorme!

Suzana Martins disse...

Leve, livre, cheio de sorrisos.

Versos com cheiro de vento e com margaridas espalhadas pelo chão!!

Leve! Perfeito!

Beijos

simone disse...

tão suave como música da natureza.

Beijos.

Danny Baioco disse...

Olá, tudo bom?
Achei seu blog muito interessante.
Comecei um blog tbm, se puder e não for pedir muito, de uma passadinha no meu?

http://cabecafeminina.blogspot.com/

Muuito obrigada e parabéns pelo blog!!!!

Lívia Inácio disse...

Aqui é tudo tão levinho!