sexta-feira, 22 de outubro de 2010

A MENINA E O BALÃO - FÁBULA QUASE REAL







E sigo a menina.
A menina com o balão.
Ela leva, sem perceber, meu coração
Vai sorridente, cantando uma suave canção
Cantiga de roda, rodopia com sua saia
Com seu balão ( ele também sorri )
Vejo o caminho se abrir pra essa criança
O campo de girassóis, lindos , amarelos,
Entoando a mesma melodia da menina
O sol, no céu, acena e pisca
Ele segue a menina, os girassóis e o balão
Em frente, eles vão
Um girassol pergunta a outro: - como ela sabe onde ir,
assim, sozinha ? Não irá se perder ?
- Não, amigo, ela sabe ser guiada, escuta o coração,
responde o Girassol mais experiente.
De repente a menina encontra uma borboleta
Ela era toda colorida ( coisa mais linda!)
E pousou na mão da garotinha.
Elas sorriram uma pra outra,
Sabendo que estavam no rumo certo.
A borboleta então voou, acenou, e pro céu rumou.
Continuei seguindo-os: a menina e seu balão.
Ela andava , cantarolava, girava com sua saia lilás.
No meio do campo de girassóis.
Subitamente surge uma cena surreal:
A casa feita de chocolates e de doces ( igual à de João e Maria )
Apareceu no meio do caminho.
Mas a menina não se assustou: sabia que a bruxa não existia,
Só a casa e sua magia
Foi lá e deliciou-se....( a porta era o mais gostoso: chocolate branco )
E eu senti o gosto, através dela...
Depois seguiu adiante, com seu balão
Os girassóis abrindo passagem e deixando seu perfume
No céu azul, uma núvem surgiu
A menina olhou, olhou e tentou decifrar
A forma que a nuvem tinha: era um gatinho lindo!
E a nuvem miou para ela. Sorriram.
Sorrimos.
O campo de girassóis chegou ao fim
E ela, seu balão ( e eu, atrás... quietinha )
Seguimos na direção do barulho do mar.
Um cheirinho e uma brisa gostosos
Guiavam a menina e seu balão.
A suave brisa balançou seu cabelo, levantou sua saia ( ops!)
E ela segurou firme o amigo balao.
( eu ia atrás, maravilhada com tudo aquilo...eu ia ...)
Chegaram! O mar os saudava....
As lindas ondas azuis com cobertura de espuma branca
Chamou pra um rápido cumprimento.
E foram lá ( fomos....eu tbm ...)
Molhar os pés da garotinha....e de seu balão.
Sensação de liberdade, de alegria, essa maresia proporcionou
Agradeceu ao mar , ele retribuiu com uma onda de aceno
E seguiu em frente,
A menina e seu balão
Rumavam agora atrás de estrelas ( anoitecia, já.)
No final da praia, chegando numa estrada , encontrou um foguete (!!)
Quanta felicidade! Sorriram, sorrimos todos ( eu estava junto, não esqueçam )
Subiram no foguete vermelho rubi
E viajaram em direção à mais bela constelação
Olhando pela janela .... quanta estrela, meu Deus!
Como saber qual a mais bela ... não, eram todas belas, brilhantes e hipotizantes
A menina perguntou ao moço do foguete:
- podemos parar aqui , do lado das três Marias?
- claro, respondeu o piloto.
E desceram , a menina e o balão ( e eu, não me esqueçam ! )
Pra conversar com as três Marias
As estrelinhas contaram-lhes um segredo:
Estavam sempre observando a menina ( e seu balão )
A garota arregalou os olhos: - vocês conseguem me enxergar aqui de cima?
- Sim, todas as nossas crianças observamos.
Mais alegria , mais um rodopio , com sua saia lilás e seu balão...
Ela também, sempre acenava pras Marias, de casa.
Despediram-se: abraços apertados e olhos cintilantes, marejados ( pequeno instante triste )
Despedidas sempre são tristes.... mas as despedidas não são pra sempre!
São Atés Logos...
E a menina seguiu, com seu balão, pra encontrar-se com alguém mais que especial
Olhou pro lado: a luz era intensa, ela era imensa, ela era linda e sedutora.
A Lua era encantadora, como ela vira de longe.
Maravilhada, a criança seguiu, com seu balão, ao encontro da Lua de todos os sonhos
E lá, então, chegou: a Lua , emocionada, chorou...
Ao avistar a menina e seu balão: tão ternos, tão sonhadores, tão puros.
A garotinha se espantou!
Entregou seu lencinho ( ela sempre tinha tudo que era necessário )
Pra lua secar suas lágrimas. Lágrimas de emoção. Lágrimas de felicidade
E a menina, e o balão , e a Lua se abraçaram ( eu via tudo, de perto, como um sonho )
Abraçaram-se longa e ternamente.
Trocaram silêncios, que muito falavam, mais do que qualquer palavra.
Elas se amavam. Se admiravam.
Então conversaram horas a fio.... deram risadas, cantaram, pularam de alegria.
As horas passaram e a Lua lembrou-se ... tinha que ir embora.
Despediram-se ( sem tristezas, levariam-se pra sempre uma a outra... )
Voltaram pra Terra, a menina e o balão ( eu também!!! eu também!!! - eu acho...)
No Foguete de São João.
Chegando em casa, depois dessa longa e maravilhosa jornada
A menina e seu balão estavam cansados, felizes.
Chegaram no quarto com paredes verdes e cama com edredon vermelho
Na parede tinha um espelho..
Nesse espelho , a menina e seu balão se olharam
E viram alguém que sempre estava junto deles
A menina olhou em meus olhos .... os olhos eram os nossos
E ela me entregou o balão
E sorriu, sorrimos ...
Pra sempre levei a menina e o balão, dentro de mim ...
A menina foi , e sempre será, a minha menina, chamada Flávia.





















8 comentários:

vera disse...

Amada ameiiiii...muito terna e muito linda tua menina e seu balão!!!!bjo..Vera.

Emanuella disse...

Que texto lindo e delicado. Preciso reencontrar minha menina que não tinha medos e acreditava, sem sombra de dúvidas, que tudo daria certo. Amei.

@David_Nobrega disse...

Ótimo texto! Gostei muito :-)

Bruna disse...

Lindo demaaaais!!! Adorei a parte em que a saia levanta... kkkkkk Sua imaginação não tem limites, Flavitcha (nem a minha rsrs)! A-do-rei!

Que você não largue nunca a mão dessa menina com um balão, que com um olhar de esperança e sede pela vida, caminha e te leva... Porque foi ela quem, num desses textos da blogosfera, me apresentou uma amiga linda e muito especial... :)

Obrigada, mocinha do balão! Continue cuidando da minha amiga Flavinha...

Beijo de alma nos três!!! Mocinha, balão e Flavinha! ;***

Tatiana Kielberman disse...

Linda fábula, Flavinha!

Tocou fundo o meu coração... adorei, de verdade!!

Vi essa menina linda em cada verso!!

Quero muito te conhecer pessoalmente em breve!

Beijos pra você!

Letícia Losekann Coelho disse...

Adorei! Uma fábula com ritmo e rima.. Uma prosa-fábul :D Super delicada e bem escrita.
Beijos

Cesar Gonçalves disse...

olá querida :-)

sempre delicioosa nas palavras, sempre tão perfeita que entra no nosso coraçao, seus textos são sua alma, e isso toca na minha :-)amei :-)!

beijooooooooo

mdartson disse...

Amiga querida, seu trabalho está muito bonito. É de uma delicadeza que esbanja emoção, leva-nos a um universo de poesia e nos faz viajar. Parabéns, querida. Adorei!
Beijos, Mary