sábado, 16 de outubro de 2010

AMOR PLATÔNICO SE TRANSFORMA


Mas existe o amor platônico.
Que é amor solitário, amor de uma via, uma mão só.
É, então, amor verdadeiro ?
É verdadeiro porque é sentido, vivido.
Mesmo que seja em sonho, vem do peito, dá nó na garganta.
Não é o ideal. É unilateral.
Uma entrega, às vezes, fatal.
Bom mesmo é o amor dividido, sentimento repartido, de dupla via, que vem e que vai.
Que completa dois corações.

Dois corações completos, repletos, tornam-se um só.
Isso é o amor verdadeiro, de razão de viver.
De enlouquecer. De enternecer.
Voar com duas asas, em uma só direção, com uma só intenção: Viver de amor e de paz.
Sonhar o mesmo sonho, sem querer acordar,
e, no final, entender que acordados o mundo é ainda mais pleno e bonito.
É amor infinito.
Juntos a força se multiplica, o desejo se soma, o medo se divide , a tristeza se subtrai.
O Amor só eterniza.
Os caminhos encurtam, as vias se abrem, os mares acalmam, os ventos sussurram. Juntos.
A natureza agradece, ao amor: tudo floresce, tudo se colore, tudo se perfuma , se enche de vida.
E os céus nos dizem: Amem-se, humanos. Amantes, se entreguem. Deixem a lua guia-los, as estrelas iluminá-los, os anjos abençoar-lhes.
E então, os antigos amantes platônicos se encontraram.
E viveram a mais bela historia de encontro de corpo e alma, de sonho realizado.


6 comentários:

alameda1976 disse...

Belo texto ...

Nanda disse...

Quem nunca teve um amor platônico? Ele é complicado, mas muito gostoso, enfim, toda forma de amar vale a pena!

beijos

Bruna disse...

Ah, amores platônicos... Já me arrancaram muitos suspiros (e dores)! rsrs Lindos na literatura, mas na vida real... O melhor mesmo é esse de que você fala:

"Bom mesmo é o amor dividido, sentimento repartido, de dupla via, que vem e que vai.
Que completa dois corações."

Adorei o poema, Flavitcha!
Obrigada por compartilhar... :)

Beijos!!!

Alexandre Prestes disse...

Belo texto, adorei ....

beijo

CONRADO DALL´IGNA disse...

Quando se aprende a viver
Aqui, diante de mim, é minha alma
Eu estou aprendendo a viver
Eu não desistirei
Até que eu não mais desista
Escutando a cidade que murmura
Eu parto assistindo de cima -
Os dias trazem novas perguntas
Novas soluções a serem encontradas
Nós dançamos entre a multidão
Às vezes a um passo
De um medo comum que se alastra a todos
Ele não ouvirá o que você tem a dizer
Uma vez você foi tocada e ficou sozinha
Para uma luta amarga
Uma vez eu alcancei a vida
E agora eu procuro a vida

;)

Anônimo disse...

Belo texto ...

adoreiiii