sábado, 18 de junho de 2011

À Espera


te espero
a hora que for
te escuto
mesmo estando longe
teus olhos
iluminam meu caminho
mesmo que na memória
estás junto de mim
aguardando estou
ansiosa
por este depois
que já me encanta
antes de existir...
aqui dentro
já palpita
o coração que pulsa em ti


4 comentários:

Leonardo Zaqueu disse...

Memoriando o ainda não,
só delicadas degustações,
(in)tensas...(in)ternas...

Enlaçam-se palavras.

Reticências con-spir-antes,
finuras de alma recém-nascida.

Anônimo disse...

A espera por vezes angustiante, mas que no fundo é prazerosa, poder amar... pela existência de outrem...


bjs meus

Marília_dosAnjos disse...

A espera por vezes angustiante, mas que no fundo é prazerosa, poder amar... pela existência de outrem...


bjs meus

Lethycia Dias disse...

Uma espera como essas é do tipo que mesmo sendo longa, pode ser boa, porque antecipa algo feliz.

Tenho observado seu jeito de escrever. É o tipo de poemas que me fazem pensar, porque o significado não está ali estampado, mas escondido bem de leve.