quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Liberdade







uma dia ainda vou voltar 
a escrever como criança.
com clareza 
e sem reticências...
sem intenções
sem segredos
sem muros 
sem grades
ou cadeados.
com liberdade
e sem busca por chaves
ou lutas desenfreadas
contra os meus eus.
quero ler minhas brincadeiras 
meus jogos
minhas gargalhadas 
desmedidas
sem podas 
sem censuras
sem limites
só com a vontade
de me atirar ao vento
voar 
e um dia, 
quem sabe,
voltar.



4 comentários:

Flávia Braun disse...

OBS: como se eu já não fosse assim... criança até a morte... mas escrever também é exercitar a loucura ;)

Alexandre Lucio Fernandes disse...

A palavra liberta tem um poder que dita caminhos.
Que este dia lhe seja, todo dia!
Que este dia seja pra todos nós...
Que sejamos nesse dia...
... como uma criança é em todos os dias: palavra sincera!

Belo pensamento mesmo!

Beijo!

Flávia Braun disse...

que grata surpresa,Alexandre!
Qto ao que escreveste: que os anjos digam amém!

bjs!

Viviane Maria Bina Braun disse...

Doce e lindo poema... adorei !