terça-feira, 7 de janeiro de 2014

A poesia silencia





quando o grito sufoca 
e a palavra aperta. 
dentro, aprisionado, o verso.


não se reconhece verso.
desconversa.
sai de mansinho..
e a poesia vai dormir.


sem saber se acordará
sem saber, somente
silencia, somente.


Não procura 
entender
ser compreendida
ter final
ou ponto de partida.

Nenhum comentário: