domingo, 16 de maio de 2010

DROPS


E ela fica feliz. Feliz com um dia de sol. Feliz com o calor no rosto. Feliz com o futuro que se insinua.



De repente ele estava ali, bem ao alcance do seu olhar. Mas ela sabia que, para alcançá-lo, não poderia acordar...



Mas viver de sonhos não dá. Então ela acordou, abriu a porta, olhou o azul do céu e soube que tudo tem seu momento. E o dela estava por vir.



E ela se fechou tanto em seu próprio mundo que só foi encontrar a chave anos depois, no coração dele...


........................


Porque as coisas mais importantes, mais belas, não há de querer entendê-las ... há que sentí-las

Fecha os olhos, assim. Sente a brisa, sente o carinho que a natureza te faz. Abre os olhos agora. Vê as cores do mundo a tua volta.

Cada cor, textura, cheiro. A natureza é completa. Faz parte disso. Coloca essa luz dentro de ti.

Dentro do teu coração. Essa luz que Deus te deu. Espalha os reflexos à tua volta. Pra todos os seres vivos


.................



Sinto-me incompleta. Numa ânsia, numa lacuna, numa espera. E não há mais procura: o encontro ocorreu....só falta avisar-nos...


E esse esperado aviso não tardará.....acho até que sempre soube....e ele também.


..................


Saí porta afora buscando respostas. Voltei, ao entender que não havia nenhuma resposta fora de mim. O difícil é saber decifrá-las.


Essa sensibilidade toda, ser assim à flor da pele: dói !

( FB )

4 comentários:

Du disse...

Poxa... e como dói amiga!!!
Adorei o texto e a imagem!

beijos

Rita disse...

perdoa minhas maluquices? :)
Obrigada por tudo.

Flávia Braun disse...

Não há o quê perdoar, querida!

Gosto muito e sempre de vc!

bjssss :)

Cesar Gonçalves disse...

minha querida :-)

doi, mas nao sabemos ser diferentes, acho que nascemos mesmo para ser assim, sentimento e fogo de Alma :-)! amei como sempre :-)!

um beijão