segunda-feira, 10 de maio de 2010

DECIFRA-ME OU TE DEVORO

Ah, a complexidade humana...

A minha complexidade é tanta que passo em alguns instantes de uma pessoa indecifrável a maior simplicidade que há. Sim, sim, difícil entender. Eu já tentei ( e não desisti, não ) inúmeras vezes decifrar minha mente, meus anseios, meus devaneios, minhas escolhas ( peraí: eu faço escolhas? ou são elas que me fazem?).
Tá, de uma coisa eu tenho certeza: não sou simples, exata, linear...não tenho script.
Sou tudo ao mesmo tempo agora, sempre!
Contradição. Mutação. Indefinição. "Eu me contradigo? Sim, eu me contradigo. Sou vasto, contenho multidões" . E minha multidão interna é tão vasta, que pouco conheço os habitantes: muitos rostos ainda nem mesmo esbarrei!

Pra começo de conversa (nem tão começo assim, já estou no meio do texto..haha) ainda não entendi porque estou escrevendo um Blog: não sou escritora, não sou poeta, não sou cronista, não sou jornalista, tampouco artista.... Mas as palavras, as idéias, as frases, versos desconexos, tudo isso me vêm de uma forma tão intensa que tive a necessidade de me expressar. E o fiz aqui. Acho que é isso.

Contradigo, simplifico, complico, apago tudo; não entendo nada, sei é muito.....Ah, vai entender...

" HUMANO, DEMASIADO HUMANO" ( F. Nietzsche )

Beijos,

fui!

Nenhum comentário: