quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Fragmentos Meus





Sentimento não se diz palavra ... sentimento se alça voo...


Suave seiva suor sabor ... sua (in) sanidade, minha sina... segredo sagrado sorvido na saliva...




Poesia linha indireta direta na reta que mira o coração ... tiro certeiro imaginário duvidoso, passa de raspão - ou não.




O que a lua reflete remete às lembranças na mente demente do tempo inexorável




O agora, o eterno, o amanhã, o inverno... tempo que nada mais é que relativa travessia
.


E onde as distâncias mais se pronunciam que não num coração ausente ?



A poesia é toda Lua, toda nua, toda crua (in) sensata criatura... Palavras com o dom de viver de voar.



Choque de realidade: acordo com o sol direto da janela. Não estás nos meus versos.....da palma da mão.... nas linhas de infinito.



O silêncio é um véu que ganha cores de acordo com quem o veste.... pode ser colorido, pode ser gris... é preciso sentir.




3 comentários:

Danilo MM disse...

Tudo que não fala sente, e o que fala já não pode mais sentir.

Du disse...

Imagem LINDA! Roubei pra um dia, postar no meu blog! ;-)

Fragmentos de alma e afeto, de Coração aberto...

AMEI!!!

Tatiana Kielberman disse...

Adoro!!

Gotas de sabedoria....

Beijos, querida!