quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

BROTANDO VERSOS


Mesmo que a chuva falte, que o sol se esconda,
que o vento cale, o verso não morre.
Esgotando-se a seiva, busca-se o alimento
na umidade dessa terra fértil das idéias.
Brotando versos.
Do barro e da lama vê-se finas raízes se infiltrando
pra deixar nascer a árvore da palavra.
Nasce crua, nua. O poeta faz o polimento.

Vai polinizando sonhos, pra colher poemas macios
.
E o poeta se deixa enraizar no solo fértil da mãe natureza da imaginação.
Cresce, floresce, perfuma, encanta, acarinha. Se faz amar.
Cerca-se de todo o olhar. Todo o sentimento.
Um dia cai folha seca, ao chão. Adormece.
Nunca morre.

A cada estação interior, se renova e renasce.
Quando a planta surge da terra macia,
vai recebendo e distribuindo olhares de amor.
E assim a poesia se enfeita, veste pétalas e irradia seu perfume.
Vira um jardim de versos, em plena primavera.
E mesmo no mais árido e desértico solo, há de surgir uma bela flor.
Porque a semente da imaginação invade a alma do artista.
Em busca de um ambiente propício pra germinar.
Seguindo seu destino, fechando o ciclo, chega direto ao coração.
De quem ama seus versos, suas letras e suas raízes.
No inverno, no verão no outono ou na primavera.
Na primavera de qualquer estação.

7 comentários:

Tatiana Kielberman disse...

Querida Flavinha,

Muitas vezes, quando menos esperamos, somos capazes de fazer brotar os mais lindos versos, mesmo que os sentimentos sejam tristes ou dolorosos!

É uma capacidade intransferível, é o dom de cada um!

Amei seu poema!! Brote versos sempre!

Beijos, querida!

Danilo MM disse...

A poesia sempre acredita

Camila Passatuto disse...

Amém!

O lugar que houver sempre haverá... sempre.

Adorei ler.

Tassyane Américo disse...

Puro sentimento.

Adorei!

Suzana Martins disse...

A cada estação o vento se refaz... A cada olhar a semente nasce e traz versos que encantam a alma!!!

Você é um encanto de versos, linda!!!

Beijos

Silvana Villas-Boas disse...

Linda a tua comparação do exercício de poetizar tudo o que poeta sente. "E o poeta se deixa enraizar no solo fértil da mãe natureza da imaginação.
Cresce, floresce, perfuma, encanta, acarinha. Se faz amar."
Mais uma lição que aprendo com você.
Bjusss
Sil

RobertoLBarricelli disse...

Feliz 2011, Flávia

Sou do site www.outroladodanoticia.net

Buscamos por blogueiras/os com interesse em publicar poesias no site e ter seu blog e perfil divulgados.

Caso tenha interesse entre em contato no robertobarricelli@outroladodanoticia.net

Temos um amigo em comum, o Fernando!

Grato,

Atenciosamente,

Roberto L. Barricelli